Acidente com os olhos

Acidentes acontecem, especialmente na área dos olhos. A Organização Mundial de Saúde (OMS) apontou que, a cada ano, entre 1,5 milhão e 2 milhões de pessoas ficam cegas no mundo em decorrência dos danos causados por traumas oculares. Nunca acreditamos que irá ocorrer conosco ou com alguém da nossa família, mas é preciso saber como agir quando acontecer algum trauma.

A maior parte dos acidentes envolvendo os olhos ocorre dentro de casa. Crianças e idosos são os mais vulneráveis a este tipo de ocorrência. Enquanto que, no trabalho, os olhos são a quinta parte do corpo mais atingida em acidenes. Os equipamentos de segurança são imprescindíveis nessas situações.

Mas o que fazer em caso de traumas oculares?
  • Em caso de acidentes com usuários de lentes de contato, as mesmas devem ser retiradas imediatamente pois podem aumentar a irritação. Certifique-se de ter as mãos limpas.
  • Caso o acidente seja com alguma substância química, como acetona ou álcool, deve-se lavar abundantemente. O ideal é manter os olhos sob água corrente por pelo menos 15 minutos. O mesmo vale para caso seja administrado um remédio errado. Depois, procure imediatamente um oftalmologista, uma vez que alguns sintomas não aparecem imediatamente após o acidente.
  • Em caso de lesão devido à fragmentos ou corpos estranhos nos olhos com perfuração, devemos acalmar a pessoa que sofreu o acidente, realizar algum tipo de curativo ou proteção (sem apertar a área afetada) e encaminhar-se diretamente a um PS oftalmológico.
  • Não coce os olhos para remover corpos estranhos. O atrito causado na região poderá piorar a situação, causando mais lesões.
  • Em caso de queimaduras ou exposição ao calor, faça compressas de água fria. A compressa com gazes ou algodão e água filtrada ou mineral gelada deve ser mantida apenas enquanto a pessoa acidentada é encaminhada para a emergência.

Em caso de acidente procure imediatamente um pronto-atendimento oftalmológico ou seu oftalmologista. Somente estes saberão como agir de forma rápida e correta, minimizando sequelas oculares.

Fonte: Revista Veja Bem, n. 20, ano 07, 2019.